quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Au danseur Christian Bourigault


L' homme
créateur et interprète
de la liberté fragile
exprimes les métaphores de la vie...
***
Il danse comme un
devineur d' énigmes et de vérités simples
inspiré
par une petite voix
jaillisante
silencieuse
***
Il fragmente son corps trop humain
il le réinvente dans l' espace
d'un temps présent
***
Il est lumière vérité passion
pour une nouvelle écriture
du mouvement
insaisissable
*****
Este texto foi escrito depois de ter assistido a um solo, na Escola de Belas Artes em Auxerre, no dia 24 de janeiro de 1997.
Este e outros textos que escrevi naquela altura estiveram perdidos. Agora apetece-me recuperá-los.






2 comentários:

N. Barcelli disse...

Não sou evoluido em francês, mas pareceu-me um óptimo poema.
Por que não crias a sua versão portuguesa?
Beijo grande.

Natália Augusto disse...

Por acaso já tenho a versão em Português. falta colocá-lo aqui!
Obrigada pelo conselho.

Beijo