sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A meu pai

O piano de Chopin
interpreta
melodias que são o anúncio
da harmonia
cósmica


Nessas horas lentas
de notas sensíveis
soçobram
vozes silenciosas
de seres
maiores do que nós
que andam invisíveis
ao nosso lado


Pedem-nos
que tenhamos os olhos
de sol e lua
e que caminhemos a seu lado
com o Indizível
no nosso olhar




1 comentário:

N. Barcelli disse...

Belíssimo poema.
Natália, devias publicar mais vezes a tua excelente poesia.
Beijos.