terça-feira, 25 de setembro de 2012

XXV Naquele dia...


FNando

***

Fim de semana! Que bom! - pensou Emilie. Espreguiçou-se na cama e deixou-se ficar mais um tempinho no calor dos lençois. Depois levantou-se e foi direta para o duche. Sentiu a água a escorrer pelo corpo abaixo. Hum, que delícia! Que prazer!
Passado meia hora, já estava na rua para comprar uma baguete fresca e crocante e croissants de manteiga de que tanto gostava. Entrou na padaria onde havia pouca gente, fez as compras e saiu. Já em casa, fez café e enquanto este não ficava pronto, pôs a mesa.
Emilie bebeu uma chávena de café com leite, comeu pão com manteiga, bebeu sumo de laranja natural e ainda comeu um croissant com nutella. Gulosa, pensou. Que maravilhoso pequeno almoço! Enquanto arrumava a loiça, o telemóvel tocou. Era a Sofia, a colega de trabalho, que a convidava para ir à praia. Aceitou o convite pois o sol parecia uma tentação.
Encontraram-se na margem direita do Sena. Sofia já tinha reservado um chapéu de sol e espreguiçadeiras. Aquela praia artificial com areia, bares, atividades lúdicas e uma piscina agradava a todos os parisienses e seus visitantes. Durante mais ou menos mês e meio todos podiam desfrutar daquele espaço.
-- Olá, Sofia. Desculpa ter-me atrasado.
-- Não atrasaste nada. - disse Sofia - Daqui a pouco um amigo meu junta-se a nós. Importas-te?
-- Claro que não. Está um dia tão bonito.
-- É verdade. - Confirmou Sofia. - Sabe tão bem estar aqui, mesmo com areia artificial, com palmeiras e piscina  frente ao Sena.
-- Somos umas privilegiadas. - Asseverou Emilie.
Por volta das três da tarde apareceu o amigo de Sofia. Era um homem jovem e de olhos azuis, simpático e atencioso. Sofia apresentou-os, porém os dois já se conheciam desde criança. Paulo e Emilie tinham andado juntos na escola em Biarritz onde tinham nascido e morado e na Sorbonne, em Paris. Que alegria reencontrarem-se. Comemoraram bebendo cerveja bem gelada e dando mergulhos na piscina. 
O dia terminou com os três a comerem numa pizzaria. A noite de sábado prolongou-se nas ruas de um dos mais famosos bairros de Paris, o Marais. As suas ruas estavam animadas, os bares estavam cheios e todos pareciam conhecer-se! Havia muitos rostos conhecidos e até grupos de amigos. A noite só terminou de manhã!

2 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Dias perfeitos assim só em contos de fadas, ou de Paris! Beijoca!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Seja bem regressada Natália! E com uma cena de Paris, ainda melhor...
Beijinhos