sábado, 16 de abril de 2011

TERNURA


"Ternura" é o tema escolhido para participar, este mês, no desafio da Fábrica de Letras.

Há momentos de ternura inesquecíveis e indescritíveis.
A palavra ternura sugere-me também esse sentimento. Sentimos ternura pelo mínimo gesto, por uma palavra amiga que nos foi dirigida, pela nossa cadelinha que nos vem lamber as mãos quando estamos tristes.
Desta vez resolvi prestar homenagem a um professor e escritor de que gosto. Também ele escreveu sobre ternura.
***
Ternura

Desvio dos teus ombros o lençol,
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão: que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
onde uma tempestade sobreveio...

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...

Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!

David Mourão-Ferreira, in "Infinito Pessoal"

11 comentários:

mfc disse...

Ele é soberbo a tratar a sensualidade!
E di-la de uma forma única.

Natália Augusto disse...

Sem dúvida! A sua escrita é erotismo, sensualidade perfeitas!

;)

Rafeiro Perfumado disse...

A ternura tem tantas formas... um gesto, um texto, um olhar. Infelizmente tem poucas manifestações.

Beijoca!

Briseis disse...

Gosto sempre quando partilham textos e poemas de outros autores... E achei este belíssimo!

Multiolhares disse...

podemos encontrar ternura em tantas coisas, é lindo o poema bela escolha
bjs

Natália Augusto disse...

É bem verdade Rafeiro Perfumado.

;)

Natália Augusto disse...

Olá Briseis

Se já disseram o que nós queremos transmitir melhor do que nós, então é melhor partilhar esse belo texto.

;)

Natália Augusto disse...

Obrigada pelas tuas palavras Multiolhares.

Mz disse...

A ternura tem muitas formas de se manifestar e como dizes bem, poderá vir também do nosso companheiro de quatro patas. Eu tenho um cão e sei o quanto me agrada tê-lo a meu lado.

O poema é maravilhoso.

Carlos Sameiro disse...

Excelente! Verdadeiro,sensual,perfume, infinita ternura...
Lindo poema.

Boa Páscoa
Carlos Sameiro

soninha disse...

Muito belo!Belíssimo!!abçs