quarta-feira, 16 de maio de 2012

XIV - Naquele dia...


 http://www.voyagesphotosmanu.com/mapa_da_italia.html

Naquela último dia de junho, Emilie já tinha as malas prontas. Supunha que Faby também, pois iam encontrar-se dali a pouco no aeroporto. Continuava super entusiasmada com a viagem, apesar de já ter ido a Itália. Havia tanto para ver, amar e degustar! 
Visitariam Roma: levaria Faby a conhecer o Coliseu, as Catacumbas, a praça de São Marcos, a Fonte di Trevi e sairiam à noite. Comeriam um bom risoto e pasta e saladas dos anjos. Ao contrário do que se pensava, os italianos não comiam muitas pizzas, porém faziam-nas para os turistas e eram deliciosas. 
Depois seguiriam para Siena. O que mais gostava nesta cidade era a arte que estava como que ao alcance da mão. Era uma cidade muito rica a nível cultural. Havia numerosas estátuas e obras de arte mostrando, tal como em Roma, os irmãos amamentados pela loba. Levaria Faby à praça principal, em forma de meia-lua, chamada Piazza del Campo, onde se encontrava a Câmara  Municipal, um belo monumento do séc. XVI, com o famoso Campanile (campanário). Nesta praça também veriam a alta Torre del Mangia
O que Emilie mais gostava de ver era a corrida de cavalos.  O Palio decorria duas vezes por ano, a 2 de Julho e 16 de Agosto. Nesta corrida participavam dez cavalos e cavaleiros, e cada par representava um dos dezassete bairros da cidade.
Seguia-se Florença. Ah Florença! Como fora feliz ali com o seu ex-marido. Para que vinha ele visitar o seu pensamento? Não havia qualquer razão. Nenhuma. A cidade de Florença era mágica.A cidade da arte e do futebol. Além disso, era a cidade natal de Dante Alighieri, autor da Divina Comédia. E os museus! Só arte e história e arquitetura.
Seguir-se-ia a visita e estadia na mais bela lagoa do Adriático, a lagoa de Veneza. Como Faby iria adorar andar de gôndola nos canais de Veneza, andar a pé pelas ruas estreitas e atravessar as inúmeras pontes, cada uma mais bela do que a outra. Teria muito que lhe mostrar: palácios, museus, praças e igrejas. 
A última cidade seria Milão onde também apanhariam o avião de regresso. Tinham um bom plano de viagem, parecia-lhe; e que seria sempre discutido com a sua amiga de infância.
Chamou um táxi e foi para o aeroporto onde Faby já a aguardava.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Olá Nathalie!
Foi bom voltar a encontrá-la através do Pé de Meia.
Aproveito para comunicar que abri um novo blog, para separar a política das crónicas e outros lazeres.
Terei muito gosto em receber a sua visita e anoto que, a partir de hoje, a devo procurar no Nathalie e não nas Fantasias.
Aqui fica o endereço do meu novo blog:
http://cronicasontherocks.blogspot.pt/