quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Alquimia


Emudecemos perante a magia
de uma tela esplêndida arco-íris
antes mesmo de ter sido o assombro
numa manhã sempre e ainda a imaginar


Gestos inocentes atentos ao segredo
do sentir
clamam pela sua expressão
policroma
numa nudez mais deliciosa


Mas hoje a tela recusa vestir-se de cor
de tanto recear que a embriaguez do artista
a nimbe aladamente de sedução

1 comentário:

tita coelho disse...

Muito bela essa poesia Nathalie.
Parabéns.
Abraços