domingo, 12 de setembro de 2010

Reinventem-me

Foto de F Nando
***
Quero ser estátua
mas não uma estátua qualquer
Serei de material nobre
e burilada com o amor do escultor
Serei «Sem título"
para que todos me reinventem
Estarei num lugar mágico
e nunca mais me poderão menosprezar
Estarei voltada para o mar
para ver os barcos sair e entrar no porto
O sol e a chuva
dar-me-ão a honra da sua visita
O vento fustigar-me-á no inverno
e as gaivotas poisarão em mim para descansar
As estátuas são estátuas
não sofrem, nem sentem nada

4 comentários:

AC disse...

A estátua como elemento alheio às agruras mas, em simultâneo, espectadora atenta da vida...

Beijo :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gostei. E concordo com o comentario anterior.

Gd beijinho, amiga

Poetic GIRL disse...

Não queiras ser estátua querida, as estátuas são frias, ninguém as quer abraçar... vai um abraço? bjs

F Nando disse...

A vida passando numa estátua virada para o mar...
Bjs