quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Um simples saco de papel...

Tenho por hábito guardar alguns sacos de papel dando-lhe as mais variadas finalidades. A maior parte das vezes acabam na reciclagem do papel depois de os ter usado e usado. Ficam amarrotados, amachucados e , ainda que com pena, digo-lhes adeus enchendo-os com os panfletos de publicidade com que "atulham" as nossas caixas de correio.
Certo dia, não sei precisar onde, nem quando, veio parar-me às mãos este saco delicioso. A história é simples mas linda e cheia de significado.


***
PS- Ainda mantenho o saco.

7 comentários:

Poetic GIRL disse...

Dá que pensar, dá sim senhora. Obrigada pela partilha, bjs

Rodrigo Della Santina disse...

Bacana, minha cara: a mensagem e o texto. Bastante singelos.
Abraço,

Fatinha disse...

olá Nathalie, já álgum tempo que não tinha noticias tuas. E é sempre bom ler o que escreves, são posts singelos mas sempre com muito significado como este. obrigada. bjs

Ana Paula Motta disse...

Gostei do que está escrito no saco mas gostei também que não só eu guardo sacos (também guardo embalagens de presente). Beijos amiga

F Nando disse...

Bonita esta história...
Bjs

Natália Augusto disse...

É verdade Nando. E os ensinamentos que contém são pura filosofia.

Beijos

Olga disse...

Lindo este saco. Penso que já tive um assim nas mãos mas não identifico a loja. Tenho por habito também usar e abusar dos sacos até ao seu limite. Beijinhos.