quinta-feira, 15 de março de 2012

FLORBELA



Descobri os escritos de Florbela Espanca ainda na minha adolescência. Insatisfeita com os poemas que constavam do manual, fui adquirindo a obra aos poucos. Anos mais tarde, algumas amigas ofereceram-me uma Fotobiografia da poetisa.
Escusado será dizer que devorei os livros e que li e reli a sua Fotobiografia. Naquela altura, as sua palavras exerciam um estranho fascínio no meu ser. Identificava-me com a sua tristeza, o seu desalento, a sua desasperança, a sua procura vã do amor verdadeiro, a incompreensão a que se sentia votada.
Quanto mais lia Florbela, descobria que o seu desalento era o meu. E o vazio cresceu. Cada vez mais... Até às várias tentativas de suicídio: de Florbela e minhas. Ela partiu. Eu, por mais que tentasse, fiquei.... para escrever banalidades...

7 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Vi ontem o filme e gostei imenso... poético, mesmo... Só uma correcção grave ao que escreveste:
ainda bem que nao fizeste como ela e ainda bem que escreves! MAS N ÃO BANALIDADES! Eu sei o que faz a autoestima depauperada, a falta de confiança em nós.. mas os outros, os de fora, vêem sempre aqyuilo que achamos que não...

POETISA E ESCRITORA TE SAÚDO COM UM BEIJINHO IMENSO POR TE CONHECER :)

Natália Augusto disse...

Olá Daniel (Lobinho),

obrigada pelas tuas palavras, pela tua força e coragem. És um amigo maravilhoso.

Beijos

Teresa disse...

Natália
Partilho o teu fascínio pela Florbela Espanca. Mas não partilho o resto. Tu andas por cá a fazer muita coisa importante, como escrever o que te vai na alma, e amar e ser amada. Haverá alguma coisa melhor e mais importante?
Beijinho.

mfc disse...

Florbela tornou-se um ícone merecido da nossa poética!

Fabiana Alves disse...

Florbela é maravilhosa! amo seu desalento poético! Seus poemas são compostos com lágrimas de uma vida intensa! Gosto, em particular, de seu poema Rústica: simples e tão cheio de sensações! Abraço carinhoso!

Natália Augusto disse...

Olá Teresa,

minha querida amiga, tens toda a razão, mas ainda há fases de grande desalento na minha vida!

beijinhos

Natália Augusto disse...

Concordo plenamente. Florbela foi e continuará a ser uma Mulher única e uma Poetisa intemporal.

:)