quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Apelo


Foto de F Nando
*******
Não peças nunca o que não podes ter ou realizar, todavia nada te impede de sonhar! Eu sonho, e para ser sincera, não consigo deixar de o fazer! Quero ser pragmática e não consigo. Que importa?
Hoje sinto, de longe, o apelo do mar. A sua voz de tempestade, irrequieta, atira-se contra as escarpas e rochas com a força da destruição. Diz-me, pede-me, implora-me que vá ter com ele.
Como pôde ele saber que queria tanto vê-lo!? Sentir o vento frio, húmido, indolor, salgado no rosto. Perder o meu olhar nas vagas de vários metros e olhá-lo a perder de vista, no seu horizonte longínquo! Atentar no céu com tonalidades diversas de luz e quase escuridão cinzenta.
Ouvir a sua voz, o que tanto tem para me dizer e fundirmo-nos na paisagem um do outro. Deixar-me livremente levar para um lugar inimaginável e aparentemente inexistente!
O mar chama-me. Gosto da sua voz, luz, movimento poético e artístico de tela viva! Quero fazer parte dessa tela.

10 comentários:

F Nando disse...

Gosto desse apelo do mar e ele ás vezes tambem me chama...
Beijo

Eva Gonçalves disse...

:) Também ouço a sua voz e quero-me fundir na tela...
Um beijo

Anónimo disse...

Olá, Natália. Nunca devemos deixar de sonhar e sobretudo ter esperança no dia que virá a seguir ao de hoje, ao de amanhã.
Bj

Ana

Eli disse...

Olá!

Nós precisamos tantas vezes de ser imediatas na resolução de situações no dia-a-dia, que quando podemos sonhar e ir mais além com a ajuda do horizonte, nem devemos hesitar!

Os momentos de reflexão e de pensamentos abstratos ajudam-nos a libertar o nosso lado mais sensível, que nunca deve ser esquecido... tu sabes!

:)

Teresa disse...

O que seria de nós sem o sonho? O que seria de mim sem o mar (nem que seja o de Alcochete?)
Bjs

Adolfo Payés disse...

Un gusto siempre leerte..

Perdón por mi ausencia siempre es un gusto visitarte..

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos de siempre..

Que tengas un buen fin de semana...

Nathalie disse...

Meu nome é francês mas eu não falo a língua... rsrs
Mas acho que entendi o que vc falou. =)

Adorei aqui. Um cantinho muito aconchegante!
Vou te seguir tbm.

=*

Mari Amorim disse...

Nathalie,
muitas vezes sinto a necessidade desse "Apelo",tento traze-lo,mas nem sempre é fácil.
Boas energias!
Mari

Daniel Silva (Lobinho) disse...

O mar. Sempre o mar. O confundir o sal das lágrimas com o sal do mar. A fusão que preconizas em estados de alma. Há como que uma pseudo-ode, uma entrega sublime como cabelos distraídos ao vento.

O mar é, sem dúvida um reparador natural e um aglutinador de emoções. Até nos querermos confundir com ele. Mas é com essa força em que ele mesmo navega,que nos devolve a nós... mais serenos e acompanhados.

A foto do nando está muito boa. E a tua entrada no blogue com um Paris que parece antigo como se do filme Moulin Rouge, está soberba.

beijinhos amigos

Hod disse...

A gente sente esse apelo na alma. o texto está espetacular.
Muitos afirmam que já foi a placenta do planeta.
Minha intimidade com o mar é de longa data.
Praticava mergulho desde adolescência e muitas revelações ocorreram.

forte abraço Nathalie e boa semana.

Hod.