segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A PALAVRA CERTA

F Nando
*******
A palavra certa é a que se pensa antes de ser escrita, porque o autor, na sua solidão criativa, a tem na sua mente, assim como tem as metáforas, as sinestesias, as imagens e as personagens, o tempo, a organização das sequências narrativas, a trama. Antes de iniciar a escrita de uma nova narrativa, texto dramático, poema, o escritor possui já a Palavra em potência, sedenta de aparecer na página em branco. Tanto faz se for numa página de papel, se for numa página do word, se for numa do blogue, se for num breve comentário na página do facebook.
A palavra certa para o leitor pode ser também a do autor. Umas vezes é, outras não. É-o sempre que o leitor se revê nessas ideias e nesses pensamentos e nessas palavras e no que quer ler quando pega num livro, num jornal, numa revista. Outras sente-se um estranho perante o que lê, não por ignorância, mas por falta de identificação, por despeito pelo autor e pelas suas ideias. Se o leitor sente que não há entrega, justiça, amor, honestidade no que se escreveu não há empatia com a escrita nem com quem escreve.
A procura da palavra certa não pára nunca, busca-se sempre, sabem-se, inventam-se para dizer o impossível, o infinito, o indizível, o sonho, o real.
A palavra certa é a palavra de cada um. Se me perguntassem qual é a minha palavra diria que tenho várias: liberdade, livro, sentir, sensibilidade, amar, aparecer, viajar, visão, escrever... Como alguém escreveu: «escreviver». Matar essa fome da palavra mesmo que não seja a palavra certa, porém será a minha palavra.
Qual é a vossa Palavra?

2 comentários:

Poetic GIRL disse...

Para mim a palavra certa é aquela que me faz dar um clique e daí construir uma história, por vezes basta mesmo uma palavra, bjs

Ana disse...

Ai Natália, querida Natália,
A minha palavra certa...? São tantas e não é nenhuma. Depende do meu estado de espírito. Quantas e quantas vezes me sento em frente do pc e não sai nada? Quantas e quantas vezes tenho um turbilhão dentro de mim que urge sair, mas não encontro a palavra certa para começar, o princípio do novelo, a chave mestra, o diapasão. A palavra certa é aquela que nos toca o coração naquele preciso momento, aquela que está em sintonia com o nosso sentir. Tanto pode ser Mar, como Terra, Ar como Água...
Certa, como Incerta
Bj grande