quinta-feira, 11 de março de 2010

Abulia

Foto de F Nando
*******
Vens?
Não. Fico.
Onde?
Suspensa nas palavras quase policromas,
brumas em farfalhos,
melodias ténues
que nascem dos astros.
Vem!
Não.
Porquê?
Não sei, não posso,não consigo.
Hoje, o vosso real não é para mim,
a minha essência está envolta em trevas.

6 comentários:

Olga disse...

Lindo e profundo como tudo o que escreves. Beijinhos.

Teresa disse...

Muito bonito! E condiz contigo!
Bjs

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Hoje, o vosso real não é para mim,
a minha essência está envolta em trevas."

Que bela maneira (poética) de dizer um estado de alma...

Quanto à foto do Nando: ele deve dar oprdem ao que fotografa ;)

bjinhos, amiga

Natália Augusto disse...

Obrigado meus amigos.


Beijinhos

O Idiota disse...

Boa tarde,
antes de mais, obrigado pela visita que fez ao meu espaço e pelas simpáticas palavras que lá deixou.

Adorei o poema.
Parabéns pelo blog, Parabéns pela escrita.

Cumprimentos,
Miguel

Natália Augusto disse...

Olá,

gostei sinceramente do seu blogue. Quando li o título, pois fez-me pensar de imediato em Dostoievski (autor de que gosto, entre tantos outros).

Obrigada pelo seu passeio pelas minhas palavras.