quarta-feira, 9 de março de 2011

Vai uma chocalhada, menina?

Momento do desfile dos Caretos de Podence por altura do Festival da Máscara Ibérica, em 2010!



Olhem-me só estes "chocalheiros" coloridos e endiabrados... Vão atrás de alguma alfacinha jeitosa, só pode. É que lá para Trás-os-Montes, as jovens não abundam!!!

Depois do desfile dos Caretos, o fim do Festival na Praça do Rossio. Então, Caretos? Vamos lá voltar a pôr as máscaras e chocalhar mais um pouco. Já perdebi! Sem as máscaras os olhos vêem melhor, certo?

Para terminar,transcrevo o que foi escrito e melhor explica como se vive o Entrudo em Podence. Sigam os Caretos na respectiva página do Facebook:
«Em Podence, nos dias de Carnaval, os Caretos surgem em magotes, de todos os sítios, percorrendo a aldeia em correrias desenfreadas, num clima fantástico e fascinante, pleno de sedução e mistério. Ninguém lhes consegue ficar indiferente, aqueles que não se vestirem de Careto abrem as suas adegas aos passantes.
As crianças de sexo masculino, os Facanitos perseguem os Caretos tentando imitá-los, as raparigas solteiras, são o principal alvo dos mascarados, admiram-nos das janelas ou varandas das suas casas, com um certo receio de que o entusiasmo dos Caretos os leve a trepar para as poderem chocalhar. »
*******
As fotos deste post são da autoria de F Nando da Sebenta do Nando

10 comentários:

pinguim disse...

Também lá estive a vê-los.

JGCosta disse...

Me parece que a diversão ilustrada pela amiga é sadia! Isso é bom, a alegria deve a meu ver sempre ser o foco!

Abraços renovados!

Natália Augusto disse...

Foi um Festival de cor, alegria, tradição e animação.
Aguardamos o Festival da Máscara Ibérica deste ano, certo?

;)

Natália Augusto disse...

Concordo plenamente! Além disso, esta é uma das formas sadias de viver as memórias e tradições dos povos.

Abraços e :)

Olga disse...

Não sabia desta tradição, existem realmente algumas coisas que nos passam ao lado. Beijinhos.

mfc disse...

Não conhecia...
Isto é genuíno!

Natália Augusto disse...

Querida Olga,

tens toda a razão. Há muitas tradições ancestrais que desconhecemos. No entanto, ultimamente, os vilarejos e aldeias fazem questão de ter o seu museu, a sua casa da cultura para assim poder partilhar o que de mais genuíno existe neste pequenito país! A imprensa também desempenha o seu papel nessa divulgação !!!

Natália Augusto disse...

Do mais genuíno que há, tens toda a razão! No final das "arruadas" E DAS "CHOCALHADAS", lê-se o testamento jocoso, satírico e hilariante para, depois, se enterrar o Entrudo, porque vêm aí as semanas de jejum e sacrifício que antecedem a Páscoa.
Nessas terreolas cumpre-se a tradição: jejuar e comer peixe às quartas e sextas-feiras.
A minha avó fazía-nos cumprir à risca a tradição.

Há quanto tempo!!!

Luis Bento disse...

Há muito tempo que não passava por aqui...pela serenidade dos teus textos e imagens, pela cultura e pela sensibilidade.

Natália Augusto disse...

Olá Luís,

obrigada pela visita e pelas palavras.
Passo também pelo teu e leio os teus textos, mas nem sempre me sinto inspirada para escrever um comentário.

Bj