sábado, 24 de janeiro de 2009

O perfume das palavras



Cedo senti o valor e o poder das palavras. Com elas aprendemos a aprendê-la e mais tarde a ensiná-la; com elas criamos laços, expressamos o que sentimentos; com elas sonhei e inventei outras.
Sem as palavras parece que tudo se perde e que todos têm muito a perder. Mesmo para aqueles que nasceram sem poder ouvi-las e articulá-las. O mundo das palavras é todo um universo de alfabetos, sílabas, sons, sentidos.
Nasci para amar as palavras. Por elas construí mundos só meus e a que ninguém podia aceder. Ainda hoje isso acontece. Com elas construí outros que partilho. Deixo-as ir como “sementes ao vento”, à espera que frutifiquem.
Com o passar do tempo, descobri-lhes o sabor. Encontrei-as amargas e ácidas e doentes, de tantos atropelos, de tantas atrocidades sofrerem. Também me chegaram doces e cintilantes nos momentos sonhadamente poéticos. Devolvi-as ainda mais doces e solidárias, numa irmandade original.
Há relativamente pouco tempo chegou-me o seu perfume: doce, quente, carmesim, intemporal, único. Senti-o quando comecei a narrar histórias. Assisti ao olhar brilhante e expectante dos ouvintes, ao sorriso simples e honesto dos mais pequenos, à partilha da experiência de contadores apaixonados pelas narrativas.
As palavras assim ditas e/ou lidas são a expressão de sensações e o despertar para o enamoramento por elas. Quem as ouve não as esquece nunca e quem as diz, originais ou não, permite olhares diferentes sobre essas sementes sempre prontas a desabrochar.

2 comentários:

Ana Paula Motta disse...

Olhando essa fotografia e lendo essas palavras fiquei com saudade dos meus pequeninos. Saudade do tempo em que contava histórias e estórias num jardim de infância pequeno e acolhedor.Saudade das oficinas de produção de textos que oferecia aos professores.Saudades boas.

Angel of Light disse...

Olá querida amiga!

Obrigada pela tua visita. Volta quando quiseres. O meu mundo tem as portas bem abertas para ti.

Gostei deste texto sobre as palavras... que muito nos dizem, nos contam, cantam e encantam...

És professora de pequenotes? Tenho uma grande admiração pelos professores, pelo papel importante que desempenham na sociedade, apesar de estar cada vez mais desvalorizado. Mas tenho. Enquanto puderes e sentires, continua a ajudar os mais pequeninos na tua linda profissão. Eles precisam. Eu, como mãe, farei a minha parte. Mas uma sem a outra não faz sentido!

Curbo-te de luzinhas de cor rosa e douradas.

Beijinhos de Amor e Luz!