sábado, 17 de janeiro de 2009

Páginas do ser



Não cerres os olhos
à paisagem humana
que te anuncia
as viagens de tempestade
na sua vida de insinceridades

Não te revejas nas mentiras
que criaram para ti
que mais não são do que não-verdades
de todos os outros

Nem sempre quem lê as tuas páginas
te sabe autêntica e honesta
porque a inocência e a ingenuidade
só são para os que conhecem o mistério
de se ser

Nem te perguntes porquê e não aches as respostas
além de ti

5 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Onde estou eu???
Bom FDS

Tecnenfermaginando disse...

Olá,
uma graça.

Abç,

Teresa

mié disse...

Vim agradecer a visita que fez ao Excertos

As respostas estão dentro de nós, também penso assim.



Obrigada

abraço

paradoXos disse...

"Nem te perguntes porquê e não aches as respostas
além de ti"

- formidável!!!

Pude saborear uma força criativa bem vincada e arrebatadora - palavras com transparência e poeticidade - incessantemente à procura do interior e de encontro à beleza!

amei-te em palavras - as tuas!



beijo, imenso!

Heduardo

Conceição Silveira disse...

Gostei imenso da sua escrita; uma fonte de reflexão sobre nós mesmos e sobre o poeta que escreveu esse texto, mais poesia que prosa...Beijinho