terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Expiação



*******

ARTE LISBOA 2009
Foto de F Nando
*******
FIL

7 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Só mesmo o nando para estes olhares. Pode ser um Cristo num sem-abrigo, um ser humano noutro, mas é impressiva a representação...

Eva Gonçalves disse...

Muito interessante este trabalho. Pessoalmente, acho que um corpo pode ser sempre belo, independentemente da idade. E a imagem é mesmo forte, gosto da evocação de retrospectiva final, quase como na minha caminhada. Muitas vezes, as pessoas rejeitam o que as amedronta, porque se confrontam com a sua realidade, os seus medos. Esta obra reflecte, julgo eu, mais do que essa referência à velhice. Não sei se o título é teu ou da instalação em si,é que faz diferença à interpretação :), evidentemente, mas partindo do pressuposto que é o título da obra, ou que pretendes que assim seja interpretada, eu diria que representa a redenção, quer seja vista num sentido mais religioso, de quem sofreu por nós, quer simplesmente a nossa própria expiação, esvaziamento de pecado, de vida, de tudo...e redenção, na paz final da morte. É a interpretação que eu faço, pelo menos, nunca sabemos se é a mesma do artista :) Achei esta tua participação invulgar e provocadora e muito, muito bem escolhida. Obrigada. :) Beijinhos

Natália Augusto disse...

Sabes Eva, quando fui ver essa exposição, esse escultura impressionou-me bastante. Pelas personagens retratadas, pela própia textura. Pareciam homens verdadeiros... UM morto e o outro a pegar no corpo como que sem acção, petrificado.
Não me recordo do verdadeiro título da obra (culpa minha que não a anotei).
Adorei a tua interpretação.

Obrigada.

Beijinhos

Natália Augusto disse...

É verdade. Esta foto impressiona mesmo. Representações da vida, da expiação, da vertigem de já não se SER.
Velhice: o terminus natural de uma longa caminhada de anos e anos.

Beijinhos amigo

Brown Eyes disse...

Esta foto acaba por ser brutal mas é assim que acabamos, enrugados e com aspecto de esfomeados. Por aquele corpo passou uma vida que partiu deixando muito de si neste mundo. Boa participação. Beijinhos

Teresa disse...

Natália
Uma imagem terrível, mas que nos marca, sem dúvida. Eu ligo-a à Pietá, de Miguel Ângelo, por isso, para mim liga-se à piedade, ao amor ao próximo, mesmo quando o outro já é um ser no fim da sua caminhada.
Bjs

Juana disse...

É chocante, eu já vi pessoas morrer, mas nunca as vi na sua nudez despojada de vida! Este tipo de escultura hiper-realista choca sempre, nunca estamos à espera... parabéns!