terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Uma rosa é sempre uma rosa


As rosas são indubitavelmente as minhas flores preferidas. São belas e perfumadas, parece que têm coração, há-as de mil cores e são efémeras. Em suma, as rosas são belas e efémeras e, talvez ,por isso me fascinem. Além disso, inspiraram e continuaram a insperar poetas, romancistas, pintores, escultores.

Rosa costuma ser um nome próprio feminino. Rosa Lobato de Faria era, de facto, uma rosa: linda, com um grande coração e muita sensibilidade. Já não está fisicamente mais entre nós, mas continua connosco, na nossa memória.

Rosa Lobato de Faria é intemporal: nos seus livros, nas suas participações na televisão e no cinema. Mulher de corpo inteiro e de alma grande. São assim os seres com uma aura de divindade.



O teu amor absoluto
O teu amor absoluto
é como a hera que envolve as paredes da casa.
Quero ser a casa
e que arranhes a cal da minha pele
e te aninhes nos meus ouvidos fenda
e perturbes a porta da minha boca.
E por fim
procures o perigo das janelas
e enfrentes os meus olhos
infinitos de mágoa
noite e assombração.
Rosa Lobato Faria
(1932-2010)

9 comentários:

F Nando disse...

...e está tudo dito!
Não podias ter retratado tão bem a Rosa que ficará sempre na nossa memória.
Bjs

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Uma bonita homenagem: a tua introdução, depois a personificação, depois a pessoa em si e as imagens coadunantes.

Tenho um poema dela que um dia destes postarei. Senhora af´vel, mãe, poetisa, escritora, guionmista, actriz, avó, mulher... e sempre risonha e brincalhona :)

Em suma: uma querida... rosa.

Teresa disse...

Não conhecia esse poema dela.
Lindíssimo! Bjs

Adolfo Payés disse...

Bello como interesante

un beso querida amiga


Bello como siempre leerte. maravillosos versos..

Un abrazo
Saludos fraternos...

Carlos Sameiro disse...

Bom dia
Sou o Carlos.
Tive a oportunidade de ver o seu blog e gostei. Poesia, fotografia,um bom trabalhado.

Meu blog:http://raizdopensamento-sameiro.blogspot.com/

Carlos Sameiro

Olga disse...

Que lindo Natália, o poema e a ideia da homenagem a esta grande mulher. A minha Jenny também lhe fez uma homenagem, com outro dos seus poemas. Adoro esta mulher, transmite-nos sempre uma grande calma. Beijinhos.

Hod disse...

Ei Natália, como de todos os que de alguma forma alegraram nossa vida fica a saudade, dessa grande mulher, escritora e atriz. Sendo uma de minhas referência e de muitas outras pessoas.
Agora descansa o noso etrno em paz.

Bom final de semana neo_amiga.

Com muitas bençãos,

Alôha,

Hod.

Eli disse...

:)

Olga disse...

Natália tenho um desafio para te propôr no meu blogue. Aceitas? Beijinhos grandes.